7.4.13

The Universe & Me

"So, take care of what you ask of me.
'Cause I can't say no to you."



É o que digo a mim mesma, se penso no que o Universo me diria (me diz), sem me dizer.
É o que digo ao Universo, se penso na minha eterna dificuldade em dizer "Não"...
Somos iguais!




1.12.12




mais do que o caminho,
ver as luzes que o iluminam...



Decidi introduzir uma pequena alteração e criar um espaço novo no blog, mas que pretende expressar um hábito antigo.
"gota a gota" é uma página onde pretendo publicar palavras minhas sobre o Watsu. 
Reflexões ou reflexos de momentos, de pensamentos, de sentimentos que têm o Watsu como ponto de partida. 
As reflexões não serão datadas e a sua reprodução não está autorizada.


10.2.12

*

*

*

Este Inverno é especial.

*

*

Sei que os meus olhos brilham

quando vêem as estrelas brilhar

*

*

*

2.2.12

Da temporalidade e sequência das coisas

Zambujeira do Mar 2011 180 

 

UMA COISA DE CADA VEZ! A verdade é que é isto que devo fazer na minha vida!

Dizer “não” é importante para poder sentir a totalidade do que sou em cada coisa que faço.

30.1.12

Do escuro e das luzes que brilham…

 corte 3   corte

corte 2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vejo o escuro e avanço. Quanto mais ando, menos luz ilumina a minha sombra na minha frente. Os passos que vou deixando para trás não me chamam para a luz. E eu caminho. O sentimento é de confiança, de segurança. Não tenho medo de escuro, quero ir na sua direcção. E quando já nada resta que ilumine os meus passos… é aí que paro e olho. É maravilhoso o que a escuridão pode mostrar aos nossos olhos. Então, volto a confirmar, como no dia anterior, que é ali que as luzes estão. Muitas. Pequenas, grandes, mais brilhantes, mais ténues, mais aglomeradas, mais dispersas. O céu escuro e as estrelas todas se deixavam ver daqui. Daqui, sim. Destes meus pés assentes na terra, destes meus olhos postos no céu*

24.1.12

Dos dias de Sol de Inverno…

Polónia Watsu Conference - set.2010 325 … a caminhar

pé ante pé, sem olhar onde piso, sem preocupação ou cuidado no pisar, apenas confio que vou colocar o pé no sítio certo.

Nesta altura, o caminho é feito sem pensar muito no futuro. Ou, pelo menos, sem a preocupação de concretizar.

Estou no final de um ciclo e, aos poucos, a paz vai chegando.

Foi difícil definir este final, apontar-lhe uma data, viver essa ideia de “fim” desde que surgiu na minha cabeça e no meu coração. Foi difícil comunicar nesses dias, porque eu queria mesmo estar quieta e calada. Faltam alguns dias, mas eu já me sinto longe, já não me sinto parte daquele conjunto.

Mas… caminho.

Sinto-me a caminhar, quase a pairar… como se me levassem, sem eu me mexer.

De olhos fechados, porque não quero ver já o que me espera, nem quero antecipar nada

… mas de coração aberto ao que der e vier*

2.1.12

Chegou um novo ano

 Zambujeira do Mar 2011 234

 

O Mar vai estar de frente

O Sol vai pôr-se

E sempre haverá alguém a assistir à maior felicidade de todas*

As Vozes de hoje…

 

Esta música foi descoberta há pouco tempo…

Tem uma melodia que me encanta e acho mesmo que as vozes juntas fazem magia.

É daquelas músicas e daquelas vozes que me apetece ouvir sem parar, mesmo que a letra fosse a lista telefónica ou uma receita culinária :)

27.12.11

Escolhi esta para mim…

Música para o Novo Ano 

There’s nothing you can do
That can’t be done,
Nothing you can sing
That cant be sung,
Nothing you can say
But you can learn How to play the game
It's easy...


There’s nothing you can make
That can’t be made,
No one you can save
That cant be saved,
Nothing you can do
But you can learn how to be you in time,
It's easy´...


All you need is LOVE ♥


There’s nothing you can know
That isn’t known,
Nothing you can see
That isn’t shown,
Nowhere you can be
That isn’t where you’re meant to be
It's easy...


All you need is LOVE ♥

26.12.11

Terra

hp1

Fui Terra quando devia ter sido Madeira;

fui Terra quando devia ter sido Fogo, e Metal, e Água.

E, quando devia ter sido Terra, continuei a ser Terra.

Depois, devia ter sido Metal de novo, e fui Água.

Sou Água, agora que devia ser Água.

O meu desequilíbrio natural é um presente do Universo que eu só vou compreender mais tarde.

Trago no bolso estas gotas que já sou.

My Christmas Tree of Life

Imagem retirada da web

 

Na minha árvore de natal deste ano há um ramo livre para cada um de vocês.

Podem escolher qual gostam mais e podem sentar-se a ver o SOL ao fundo da imagem a descer devagarinho.

Os ramos que ela tem são coloridos e são fortes, como aquilo que nos uniu, a certa altura, nas nossas vidas.

Foram crescendo em direcção ao céu e foram ganhando contornos e folhas.

Podem sentar-se mais a cima ou mais abaixo, mais à direita ou mais à esquerda, num ramo colorido, num ramo com folhas, num ramo desfolhado...

Podem saltar de ramo em ramo, voar a pique do ramo mais alto até pousar num ramo mais rasteiro, pendurar as pernas e ver o Sol descer de cabeça para baixo...

E sejam felizes nesse olhar prolongado*

Se quiserem ficar e esperar pela Lua, também podem.

Já sabem que ela virá acompanhada de estrelas... E que as estrelas podem guiar os vossos passos até à concretização dos vossos sonhos... outras vezes, podem apenas iluminar e tornar a noite mágica.

Sejam felizes também na escuridão, porque nela sabemos onde fica a nossa própria Luz*

FELIZ NATAL*

17.10.11

Tenho saudades,
talvez seja esse o sentimento maior,
hoje.

FELIZ ANIVERSÁRIO, PAI*

Hoje não tenho mais palavras para ti.
O meu coração não pára de bater e as palavras não querem chegar.
Quero só sentir. Mais nada*

3.10.11

Dos Corações... De Pedra...

Caminhava pé ante pé. O caminho era rude, mas eu gosto dele assim. Sem querer e sem me aperceber pisei um coração. Primeiro, fiquei aflita. Não me apercebi, antes de o pisar, que era um coração. De pedra, mas um coração. Fiquei triste, porque não queria ter pisado aquela pedra, com aquela forma. Depois, fiquei contente. Veio ao meu pensamento uma boa justificação para ter pisado o coração. Quase instantaneamente ocorreu-me, talvez num jogo da mente que a todo o custo procura justificar as nossas acções (as quais nos arrependemos de ter feito, ainda que inconscientemente...) E lembrei-me... Talvez... eu tenha pisado o coração com o único propósito de apoiar o meu pé, o meu corpo, enquanto caminhava. Talvez o coração esteja ali para apoiar a minha caminhada. Para me sustentar. Para ser apoio e permitir que eu continue a caminhar. Em vez de um buraco para eu cair... ou tropecar...
:)

23.9.11



Porque
ontem
e hoje
ouço o Mar*
que está a quilómetros
como se estivesse aqui
mesmo ao meu lado
a dizer-me um segredo
em voz alta

18.8.11

Hoje, Mar*




quando escrevo mar
o mar todo entra pela janela

Al Berto, [eras novo ainda]






e nunca me disseram o nome daquele oceano

Al Berto, Salsugem - 9