21.2.08

Mão de Sereia*


A Sereia* escreve nas ondas do mar,

na areia da praia

ou no coração de quem a lê...
Gosto de mãos. Gosto muito de mãos. Presto-lhes atenção, gosto de olhá-las, de admirá-las. São uma referência para mim e estão, no meu gosto pessoal, ao nível dos olhos quando me encanto por elas e por eles. Tenho uma admiração especial por mãos. Não as minhas em especial, mas as de todos os que conheço. E para além de admiração, tenho respeito.
É com as mãos que fazemos coisas... Coisas novas, coisas boas, coisas bonitas, que criamos, que damos forma...
E eu sou sensível nas mãos, não gosto que todos mexam nas minhas e só alguns tiveram autorização para beijá-las. Beijar uma mão é um acto que me encanta, não no sentido da autoridade ou da supremacia, mas antes da parte mais meiga e doce do beijo quando a boca se encosta à mão. Principalmente se os olhos fixarem os de quem as beija.
Mais uma vez... mãos e olhos.
Lembro-me de um amor antigo que tinha o hábito de me beijar as mãos. Era lindo esse momento.
Esta é a minha mão. A mão de uma Sereia*
Uma mão azulada, uma mão aquática, sensível e meia torta. Mas gosto dela assim. Não trocava por mais barbatanas que este mundo e o outro me pudessem dar.

2 comentários:

Pipinha disse...

Bela foto, amiga! Tu não só escreves como tocas no coração de quem te lê!!!
Muitos beijinhos e abraços apertadinhos

FavaRica disse...

Aaahh... Quem me dera ter mãos lindas! Também sou fascinada por mãos.. e não pelas minhas (pequeninos cachos de banana da Madeira, como dizia a minha avó carinhosamente) mas por mãos esguias e expressivas, que "falam" nos seus gestos elegantes... Mas as tuas mãos são ferramentas de magia do Watsu :-) e gosto delas assim!
As minhas, estás autorizada a beijar :-)