4.12.08

Universo em festa*




Eram grãos de areia que nunca mais acabavam
Eram gotas de água salgada que nunca mais adoçavam
Eram estrelas que luziam e nunca mais se apagavam

Eram corações que pareciam que nunca mais batiam
E, logo ao lado, outros tantos em forma de coração que só amavam, só sentiam

Eram braços que só envolviam e confortavam
Eram olhos que só brilhavam e, ao longe, pareciam aquelas estrelas que luziam
Eram pés assentes na terra quente com as cabeças bem soltas nas nuvens

E as almas, essas, estavam vivas entre tudo e todos.
Eram almas soltas que nunca mais deixaram de sonhar

E o sonho?
O sonho.
O sonho tinha tantas cores como as do arco-íris vezes sete

Eram gotas de água, eram grãos de areia, eram estrelas.
Era um praia onde tudo e todos chegavam a cada instante e de lá saíam, em grande algazarra, sem saber para onde ir a seguir. Riam, dançavam, soltavam areia no ar, corriam, cantavam e sentavam-se à conversa com outro qualquer.

Era o mar a dizer-lhes que ficassem.
Eram as ondas a rebentar pelas costuras do mar
E de tanto tentarem alcançar a areia, as rochas, os pés secos
De tanto irem e virem

As ondas e o mar já iam e vinham como se não soubessem que nome tinham
Era o mar sem dar nome às coisas e a dizer que ficassem perto dele.

Eram grãos de areia que nunca mais acabavam
Eram gotas de água salgada que nunca mais adoçavam
Eram estrelas que luziam e nunca mais se apagavam

O universo em festa*

9 comentários:

Vergilio Torres disse...

A musicalidade do mar... está aqui!

Nada, e dizer...
Nada, nada fundo!
À superfície se espraia
este nada que é o mundo.

Nada, e dizer...
Tudo, todo o universo!
O teu mar de cambraia,
O teu mundo por um verso.

Verifico: hesse

Sereia* disse...

:)

Este Mar é tão bonito que não consigo deixar de cantar por ele e para ele.
Ele é fonte e é regresso,
é sal na minha vida e é a minha vida, mesmo.

Tenho que cantá-lo, mas sem voz.
Em palavras de silêncio musicado pela melodia de quem as vai lendo


:)

Obrigada pelos versos*

Angel of Light disse...

Linda amiga!

Este teu sentir sobre aquele que é a tua casa é simplesmente... FANTÁSTICO! As palavras brotam de ti com uma força que vem mesmo lá das profundezas do Continente "desaparecido"...

Bom fim-de-semana!

Beijinhos de Amor e Luz!

Peter Pan disse...

Sensível e Estimada Amiguinha:
Este poema é delicioso. Lindo. De maravilhar e fascinar...
"...Eram gotas de água, eram grãos de areia, eram estrelas.
Era um praia onde tudo e todos chegavam a cada instante e de lá saíam, em grande algazarra, sem saber para onde ir a seguir. Riam, dançavam, soltavam areia no ar, corriam, cantavam e sentavam-se à conversa com outro qualquer..."


Lindo. Lindo. Lindo.
Encantador e doce.
Incrível de sensibilidade poética extraordinária.
Adorei. Excelente! Do melhor.
Beijinhos de admiração pelo que concebe carinhosamente e, que faz contagiar pela ternura que coloca em tudo o que faz, com delicia.
De coração imenso. Sabe? "IMENSO"!
O AMIGO SINCERO


peter pan

frAgMenTUS disse...

linda dedicatória a do Vergílio, só agora li...parabéns!

Antonia disse...

Tens um coração maior que o teu tamanho, pois quem têm tanta paciência para nos aturar com tanto amor, e ainda têm espaço para ser amiga como tu és, merece realmente o meu profundo respeito .
Quero-te ter sempre como amiga.
Um xi-coração muito apertado.

kakauzinha disse...

Fizeste do teu mar de palavras uma festa que nos deixa deitar na areia, sentir as águas e olhar para as estrelas.

Deixo-te uma onda de beijinhos azuis****

Angel of Light disse...

Passei para te desejar uma boa semaninha, carregada de Luz!

Beijinhos de Amor e Luz!

Sereia* disse...

Obrigada pelos mergulhos que me deixaram*