18.1.09

Manias antigas repescadas, hoje

Sempre tive a mania de guardar coisas pequeninas e insignificantes que tivessem feito parte de algum dia importante ou de algum acontecimento ou de alguma coisa, fosse o que fosse. Tenho a minha caixa de recordações e hoje fui visitar o meu passado e fazer o que eu não gostava de fazer há uns anos atrás… deitar fora coisas que me levam para o passado.

A caixa estava cheia e eu acabo por ter mais coisas para acrescentar.
Os anos passaram e eu fui perdendo essa mania. Pelo menos dessa maneira tão consecutiva e tão exaustiva.
Já não guardo pedras que apareciam no caminho de um passeio com amigos, nem folhas de árvore, nem caninhas, nem bilhetes de cinema ou de comboio…

1998 foi um ano muito produtivo em arquivos…
Fiquei a saber ou a lembrar que:

- Já estive nas piscinas municipais de São Jacinto, em Aveiro, e que o bilhete foi 210$00

- Que no casamento de uma amiga, da ementa constava um certo bacalhau surpresa, no segundo dia… antigamente os casamentos tinham 2 dias… já nem me lembrava!

- fui ao cinema com uma data de amigos da turma, na sala 2, no lugar 13, na fila K… almoçamos às 13h10 minutos e depois de comer fui lavar o prato em forma de meia lua, fui comprar uma caneta de acetato e TODOS assinaram o prato. Era feriado, dia 5 de Outubro e estavam lá grandes amigos que ainda hoje fazem parte da minha vida, felizmente!

- Lembrei o filme que vi no Cinema Girassol, em Vila Nova de Mil Fontes, O homem da máscara de ferro, bilhete: 500$00

Jantares de turma então!!!!

- No Regala: 12 de Junho de 98, depois fomos para o Fonte da Pipa, depois fui dormir a casa da M.

- Outro no Regala a 2 de Outubro

- No feriado de 25 de Abril de 98 fui à Feira do Livro no Parque Eduardo VII e depois fui ao Colombo (e se eu ODEIO o Colombo)

- Em Fevereiro de 98 também comprei um top azul… dizia o cartão: Numa manhã para nunca mais esquecer… na verdade… esqueci!

- No dia 14.10. 96, às 11h40m o meu colega de carteira de então… escreveu-me num papel de borracha, numa aula de Inglês.

- Descobri fotografias de um Miguel que eu amei no secundário… fotos dele a jogar Voley num torneio em 95 ou 96

- Em 97 participei num rally-paper, com a equipa de nome: São Bernardos…

- E ainda em 98 terei participado na prova de natação, circuito de travessias… dia 27 de Setembro… OS TEMPLÀRIOS – ILHA DO LOMBO, em Tomar

- Bem como na Inauguração da piscina do estádio Universitário, esta lembro-me bem!!

- Numa outra travessia de mar, desta vez em Quarteira, no Algarve… tenho de recordação, para além das fotos… os papelinhos que escrevíamos para mostrar no vidro de trás do autocarro: Se fez sexo hoje, sorria!

- Um balde de pipocas assinado por todos os que foram ver o filme desse dia…27.3.98

- Os tempos de 50 metros bruços e 50 metros costas e de 100 metros e de 200 metros estilos e de 400 crawl

- Uma caixa de smarties vazia, mas com um papelinho colado com fita-cola e nele uma mensagem deixada pela M.

- Uma caneta comemorativa da maratona: 12 horas a nadar, em Carcavelos

- As minhas pulseiras de couro e de fitas e de missangas… TODAS

- Ervas secas com etiquetas coladas a dizer: Évora, 18 maio de 98 (muitas qualidades diferentes de folhas)

- Uma senha de autocarro picada 4 vezes (quando só se podia picar 2…)… que era o meu orgulho de poupança

- Uma declaração do professor de educação física a dizer que não tinha dinheiro para pagar a dívida que tinha para comigo e mais uma colega… por termos tentado que ele e mais um professor ganhassem um jogo de voley ao tal Miguel que eu amava e mais um amigo…
E porque eu e a minha amiga arrumámos todo o material… a divida era de 200 mil escudos a cada uma! em 1996 era um balúrdio!
E os profes perderam o jogo. O Miguel era mesmo o maior!!!

- A morada de uma professora de português que tive no 8º ano e o nr de telefone. Lembro-me de ter ido ao casamento dela. Na altura não era muito normal e foi um orgulho para mim.

- Fitas, autocolantes, horários do 7 e 8 e 9 anos…

- Bases de copos assinadas por todos os que estiveram no Bar nesses dias

- O meu primeiro relógio

- Pacotes de açúcar e bilhetes de cinema e de comboio, guardanapos de papel, laçarotes, conchinhas…… TUDO guardado religiosamente numa caixa de recordações


Tantas coisas!!!
Tantos anos!

Eu era uma incrível anotadora de pormenores e uma exaustiva colecionadora de momentos congelados no tempo!

Era...
Fui...

11 comentários:

Pipinha disse...

Minha Amiga kida e linda, que delícia recordar bons velhos tempos, não é? Também tenho uma caixinha de recordações e se não tivesse o hábito de guardar tudo (bilhetes de tudo e mais alguma coisa), não teria conseguido fazer o blogue Diário das Minhas Viagens tão completo... Ainda bem que guardei.
Sabe sempre bem recordar o que foi bom.
E fizeste-me sorrir com as coisas que aqui contaste :)
Obrigada por esta partilha!
E Obrigada pelo sorriso que deixaste no meu cantinho de emoções!
Minha querida, nunca percas as forças para sorrir, está bem?
Boa semaninha.
Beijinhos, abraços e abanicos de colores, muitos muitos!!!

Angel of Light disse...

Olá querida... gostei do teu :)

Pois,... quanto a se guardar coisas do passado... já pensei de outra forma. Antigamente guardava muita coisa (não tanto como tu...hihihi...), mas guardava. Hoje em dia, não guardo quase nada e o que tinha desfiz-me... E todos os dias me esforço para que o "quase" desapareça de vez.
A meu ver, não é bom guardarmos coisas, só mostra que estamos "apegados" ao passado. Podemos guardar sim no coração todas essas recordações boas, não é? Agora em "material", para quê? São apegos que devemos libertar, sejam bons ou menos bons. Não poderemos caminhar "carregados" de coisas, senão onde teremos lugar para guardar aquilo de que necessitamos no agora? Mas respeito quem o faz.
Quando um dia partirmos, não levamos nada connosco, porque nós não temos nada... é tudo ilusão. Isto até pode parecer disparatado aos olhos de muitos, mas é assim que eu sinto e que vibro presentemente e digo-te, sinto-me muito mais feliz e ... leve!

Beijinhos de Amor e Luz!

FavaRica disse...

Adorei.

O melhor de sempre.

Só não percebi uma coisa... ir a casamentos de professores? De PORTUGUÊS!?
Hilariante!

Beijos!

kakauzinha disse...

Ena tanta coisa!!!

Querida Sereia, ao ler-te vi-me ao espelho, nem sabes o que eu guardava, era quase tudo! Mas depois comecei a ter de fazer escolhas senão não tinha casa que aguentasse (e também para aliviar o espírito).

Mas penso que é sempre bom recordar o Passado porque o vivemos e é nele que estão muitas das nossas raízes, por isso gostei de ler as tuas recordações, de momentos felizes que fazem parte da tua vida. E espero que vivas muitos momentos felizes todos os dias.

Beijinhos azuis****

Anónimo disse...

Ola Sereia!

Ao ler este texto no teu blogue até eu recordei vários momentos que passamos juntas e com os amigos da altura, foi Bom recordar, mas ao mesmo tempo não foi tão bom perçeber que a nossa amizade ficou apenas guardada nesse baú de eternas recordações...
Sera que até nesse baú a nossa amizade ficou??? "... deitar fora coisas que me levam para o passado..."
Enfim... a vida é assim muda, traz novas coisas e momentos, novas experiências, novas pessoas e formas de estar e quer queiramos quer não existem pessoas, momentos e experiências que se vão desvanesçendo, apagando terminando... é assim...
Apesar de tudo fico Feliz por sentir que ha alguma Paz e Tranquilidade que vão entrando na Tua vida neste inicio de Ano.
Beijinho
Sónia Sousa

Sereia* disse...

Sónia,

começo por ti.
Estou a dever-te uma saída, eu sei. não estás esquecida, nem ficaste na minha caixa de recordações. Prometo. Assim que possa, eu digo mesmo.

Além disso, paz e tranquilidade, infelizmente, não são as palavras certas para a minha vida neste momento. Lá chegarei, eu sei que sim, mas não já. Não agora :(

Pipinha e kakau,
Foi bom recordar tudo. Foram anos e anos a passar à minha frente. É sempre bom recordar bons momentos e boas pessoas que deles fizeram parte.

Fava Rica,
Sim, sim! casamento de uma professora de português! Podes acreditar! Nunca mais voltei a repetir a brincadeira :) Esta deve ter sido mesmo a ÚNICA que me compreendia... não sei... ;)

Angel,
eu era um arquivo vivo da minha vida passada, sim. Percebi que devia mesmo mudar e foi isso que fiz. demorou tempo, tive que fazer o meu caminho devagar. O meu passado é aquela coisa que me enche de alegria só de pensar e eu sou apegada DEMAIS. É por isso (eu sei que é) que o presente me custa tanto.
Mas foi o que fiz... a muito custo... despedi-me de muitos momentos. Para sempre*

Não me orgulho disso, porque ainda me é dificil. mas hei-de orgulhar, daqui a um tempo.

beijos a todas*

~PakKaramu~ disse...

Visiting you

Luiza Dunas disse...

Sereia,

1998 para mim foi um ano muito especial, parti sem saber para onde ía. Chamo-lhe Inglaterra para facilitar, o que é o mesmo que dizer para ocultar, pois na verdade há ilhas que não têm nome nem céus nem terras para rotas de uma viagem indicar. Posso dizer-te assim: "Era uma vez um rasgo de magia
Dança de sombra e de luz"

Vim dar-te um abraço e agradecer-te o carinho da dedicatória.
Como sabes, os mares internéticos não são os que mais navego. Mas estou por perto. Saberás isso também.

Vergilio Torres disse...

:)

Joana Homem da Costa disse...

Que lindo! A importância da vida está mesmo nos pormenores! :) Nada como recordar o que passou para irmos à busca de mais momentos novos!
Bjão

Clarinda Galante disse...

Poissssss...tem que ser se queremos continuar a n/jornada sem apegos...mas tudo isto também tem limite...não podemos ser radicais, nem tudo o que dizem pode ser levado tão à letra...tem que ser...devagar!
Jinhos