22.3.09

Contrariedades e coisas assim...

Não tenho por hábito fazer grandes planos, mas gosto de sonhar com coisas que gostava que acontecessem. Gosto de pensar que um dia, vão mesmo acontecer. Chamam-se sonhos... mas são... não sei se são sonhos... talvez sim, talvez não.

Tenho uma agenda que utilizo com a frequência de quem anota em papel o que fez no dia anterior e não o que vai fazer no dia seguinte. Tenho, assim, hábitos estranhos que passam pelo modernismo e pelo capitalismo mais rudimentares e mal aproveitados que possam existir. Para mim a agenda é o que as pessoas de negócios e, assim por dizer, atarefadas chamam de 'memo'. É que, na realidade, o que pretendo com uma agenda é que ela memorize aquilo que a minha memória de galinha não consegue e mais aquilo que eu tenho medo que a minha memória de galinha não consiga. Ou seja, o que pretendo de uma agenda é nela escrever qualquer coisa que já aconteceu, mas da qual eu quero guardar um qualquer resquício memorial... efectivo.

Estranho eu sei.
Tanto é que... não faço planos, muito menos a longo prazo. Comigo impera a regra do: nunca acontece como o planeado. Por um lado, já não me transtorna assim tanto. Aprende-se a viver em eterno free flow (e também neste aspecto o Watsu me ajudou a contornar a minha ineficácia programadora da minha vida).

Comigo acontece frequentemente aquela situação que me chateia profundamente e que passa pela seguinte descrição: três (ou mais) situações importantes ou inadiáveis ou dificeis de escolher... assim todas em bloco, no mesmo dia, na mesma hora ou em horas que impossibilitam outras três de acontecerem, de se verificarem, de se concretizarem. E pronto... How can I possible/ever deal with it???

1º - fico danada! É inevitável...
2º - fico ainda mais danada...
3º - adapto tudo, mudo tudo à última hora, nunca sei como vai ser e, finalmente...
4º - tomo uma decisão. Sempre difícil. SEMPRE!

Pufff!!!
Será talvez por isso que quando penso no futuro nunca consigo sorrir de orelha-a-orelha. E quando penso no passado fico com a nostalgia a encher-me as medidas.
Saber que sempre que faço planos, as coisas não correm como o planeado é chato. Vive-se. Sobrevive-se a isso, claro. Saber que por muito que imaginemos determinada situação de determinada forma... nop!
Nem sempre é mau sinal, tenho que admitir. A surpresa pode ser boa ou menos boa... é verdade. E além disso, ganhamos uma bagagem extra para lidarmos com a adversidade.

Agora, não habia nexexidade de ser assim... SEMPRE.
Não sei... digo eu...

3 comentários:

Pipinha disse...

Minha Amiga kida e linda, pois é... a vida é assim... imprevisível e nem sempre as coisas acontecem como queremos. Temos que saber escolher... tomar decisões, mesmo que difíceis. Se tudo fosse fácil, qual seria a graça? Já pensaste nisso?
"Free flow"... deixa a vida fluir e vai aproveitando as coisas boas que vais conseguindo fazer todos os dias e anota na tua agenda para mais tarde recordares.
"Carpe diem!"
E nunca percas as forças para sorrir!
Gosto muito de ti!
Boa semana com muito carinho, paz e alegria no teu coração maravilhoso.
Beijinhos carinhosos e abraço apertadinho.

FavaRica disse...

Amiga:
Essa tua agenda, chama-se Diário... :-)

Beijos

Paula Raposo disse...

Uso sempre uma agenda. Daquelas onde se pode escrever o que aconteceu naquele dia e se quiseres que te diga há um mês ou um ano o que aconteceu nesse mesmo dia, eu abro a agenda nessa data e tudo lá está...para que a memória não se perca!! Beijos.