24.10.09

Contrariando todas as previsões, indo contra e de encontro, desconhecendo o que todos julgam saber, saltando em andamento, fechando os olhos às evidências, criando evidências novas para enganar a única pessoa que precisa de ser esclarecida...

E, de repente, O zoodiaco chinês diz que é macaco, a Numeralogia diz que é 3, o outro diz escorpião...
Mas, eu não sou nada disso. Não me sinto nada disso.
Há a promessa lida de que seria uma mulher de negócios imbatível, implacável, muito bem orientada, muito capaz de ter sucesso, com uma capacidade de trabalho extraordinária. Podia até aplicar dinheiro na bolsa, imaginem!!!
Tudo isto se fica a saber sem procurar nada, sem querer saber nada, sem sequer pergutar nada.

Nada disto me convence!
Quero apenas água na minha vida.

O que fazer quando o nosso destino é outro diferente daquele que ecolhemos?

Chega o dia em que nos sentimos fora da Corrente do Norte,
e em que o pôr-do-sol da minha Adraga é a única coisa que me traz paz.
Foi hoje.

De resto... perdida me acharei em qualquer lugar, qualquer dia.
Até lá*

3 comentários:

Luiza Dunas disse...

Aqui vai uma conchinha das minhas Dunas. Um beijinho para ti, quero eu dizer.

Paula Raposo disse...

E assim nos sentimos muitos dos dias das nossas vidas...beijos.

Lídia Borges disse...

Poderia ter sio eu a escrever este texto.
Também sou isso tudo (escorpião, macaco) sem ser nada disso.
Água, um desejo refrescante, limpo, livre...


Um beijo