11.11.09

Do teu silêncio saiu-me isto que te escrevo... e que li de alguém

(ESCRITO DE MEMÓRIA)

1. Um pequeno depósito de incredulidade
no fundo dos teus olhos.

2. Um breve estremecimento no movimento
do coração (do meu coração).

3. A impressão de alguém olhando
-te atrás de ti.

4. Uma voz familiar
num sítio cheio de gente.
(que só tu ouves dentro de ti)

5. Um súbito silêncio entre as
sílabas de certas palavras
que fica depois a pairar perto dos lábios.

6. A ignorância de alguma coisa
que ainda não sabes que não sabes.

7. Uma palavra só, aguardando,
uma palavra que basta dizer ou não dizer,
abrindo caminho entre ser e possibilidade.

8. O que não sou capaz de dizer dizendo-me.

9. Eu (um lugar vazio) para sempre; tu para sempre.

10. Outras duas pessoas
de que outras duas pessoas se lembram.

11. Esse país estrangeiro, o tempo.


Manuel António Pina (1943)
Poesia Reunida

2 comentários:

Angel disse...

Admirável o teu mar.
Muito lindo o que escreves. Lembra-me uma amiga.
Fica com Deus

platero disse...

para quê transcrever se o que se tem para dizer não é pior?

beibinho