4.12.09

Não sei se é a última vez que te escrevo. Neste momento parece-me que sim mas, na verdade, não sei. E escrevo só para te dizer que não tenho mais palavras. Não tenho mais letras guardadas, gastei todas a escrever-te um Tratado que ainda não leste.
Não tenho mais palavras e não tenho mais silêncios para ti. Também gastei os silêncios enquanto esperava por uma palavra tua.
Não sei se é a última vez que te escrevo. Neste momento parece-me que sim.

2 comentários:

mfc disse...

Há sempre uma palavra para ser dita, um sorriso para ser visto e um dar de mãos para nos confundir...!

Sereia* disse...

Caro mfc, muito obrigada pelos mergulhos.
Julgo que sim, haverá sempre mais uma palavra, haverá sempre mais um sorriso. E porque não um dar de mão?
A seu tempo regressarão. Sei que sim.