21.1.10

Breve interlúdio de pintor aprendiz




De que servem todas as cores,
se não soubermos pintar?


**************


com mãos de artista verdadeiro,
escolhemos a dedo a primeira côr a dar ao desenho do dia
começamos a medo, com o traço leve, rasgado
atravessamos a folha do dia a pensar na côr seguinte que lhe vamos dar
na nossa mão o lápis pede para o pousarmos suavemente,
e os olhos já sabem qual é a côr que fica melhor no próximo traço,
este mais carregado, mais certo de onde vai passar, da recta ou da curva
as cores são tantas, que ser pintor não é tarefa fácil
as cores chamam a cada dia
só temos que sentir o impulso de agarrar o lápis
e colorir

muitas vezes, duvidamos da nossa grandiosidade artística na vida
temos medo de borrar o risco, de vacilar na recta, de carregar demasiado na ponta do lápis e partir o bico. Muitas vezes, fazemos mesmo o traço no sítio errado do desenho e já não podemos apagar. Nesses dias pensamos: "já não sei pintar!" e sentimos a falta da inspiração atribuida a todos os génios do mundo que pintam telas.

e é aí que a vida nos obriga a pintar de novo,
porque um novo dia chegou a pedir mais cores*

2 comentários:

Angel disse...

E ao pedir mais cores, o dia te renova o ânimo. Te faz crer num novo começo.
Lindo amiga.
Fica com Deus

Maria Emília disse...

Tenho andada um pouco afastada porque ao mudar o meu blog perdi os seguidores e os contactos e agora ando a repescá-los nas mensagens antigas. Ainda bem que dei hoje com o seu. Já tinha saudades de passar por aqui.
È preciso não ter medo e arriscar todas as cores a que a vida nos chama e proporciona.
Um grande beijinho,
Maria Emília