21.1.10




E se um dia eu pintar o verde que trago no peito
em cima da ferrugem do tempo?

Sem comentários: