26.1.10

A Sereia* faz anunciar...

Faço anunciar aos amigos, conhecidos e outros no geral e no particular...
o seguinte:

Sessões de Watsu Profissional

DATA: últimos domingos de cada mês

LOCAL: Barcarena, perto de Sintra

HORARIO: manhãs

Mais informações em: info.watsu@gmail.com

21.1.10

Breve interlúdio de pintor aprendiz




De que servem todas as cores,
se não soubermos pintar?


**************


com mãos de artista verdadeiro,
escolhemos a dedo a primeira côr a dar ao desenho do dia
começamos a medo, com o traço leve, rasgado
atravessamos a folha do dia a pensar na côr seguinte que lhe vamos dar
na nossa mão o lápis pede para o pousarmos suavemente,
e os olhos já sabem qual é a côr que fica melhor no próximo traço,
este mais carregado, mais certo de onde vai passar, da recta ou da curva
as cores são tantas, que ser pintor não é tarefa fácil
as cores chamam a cada dia
só temos que sentir o impulso de agarrar o lápis
e colorir

muitas vezes, duvidamos da nossa grandiosidade artística na vida
temos medo de borrar o risco, de vacilar na recta, de carregar demasiado na ponta do lápis e partir o bico. Muitas vezes, fazemos mesmo o traço no sítio errado do desenho e já não podemos apagar. Nesses dias pensamos: "já não sei pintar!" e sentimos a falta da inspiração atribuida a todos os génios do mundo que pintam telas.

e é aí que a vida nos obriga a pintar de novo,
porque um novo dia chegou a pedir mais cores*



E se um dia eu pintar o verde que trago no peito
em cima da ferrugem do tempo?
com essa expressão no rosto, andaría por muitos lugares do mundo
e procurava aquele lugar onde, num vislumbre, te encontrasse de novo
em memória, encontraría os caminhos por onde passaste sem eu saber,
em memória, saberia de cor por onde passou a tua alma
de olhos abertos via-te passar nesses lugares onde estiveste sem mim

mas não
não vou andar pelo mundo,
nem passar por esses caminhos teus, como se fossem meus
parece que sei de memória, mas não sei.
A única coisa que tenho comigo, na minha pele, é a tua.
E algo me diz que não voltarei a encontrá-la...
essa expressão no rosto*

18.1.10

"How does it feel being in these arms?"*


- disse a Corinne Bailey Rae numa música perfeita...



(foi a primeira vez que a ouvi e fiquei fã)

*Watsu no sábado à noite :)

15.1.10

"Pábia"

Não escolhemos a família que temos.
Foste a avó que eu nunca tive e sabias como ninguém como eu gostava do pão com marmelada. Não era manteiga, nem fiambre, nem queijo. Era marmelada. Não era muita, nem pouca. Só tu sabias a quantidade certa para me fazer lanchar sem fazer birras.
Foi no teu pátio dei os primeiros passos e à volta do pilar que sustentava a pequena varanda rodopiei milhares de vezes. Dancei e cantei. Com um nó que davas na ponta de uma corda fazia um microfone com fio e tudo. Teimava que a tua comida era melhor que a da minha mãe e fazia a pobre coitada ir deixar a comida em tua casa antes de me anunciar quer era dia de ir comer a casa da vizinha. Passei tardes e manhãs, dias e dias enfiada em tua casa só porque sim. Só porque gostava de lá estar ao pé de ti. Adorava ver o teu cabelo comprido a ser penteado e ver-te fazer o carrapito. Adorava sentar-me no muro à conversa a ver passar os carros. Não chegaste a comer as bolachinhas que te deixei anteontem. Hoje despedi-me de ti com todo o carinho que uma neta pode ter por uma avó. Se pudesse ter escolhido, tinhas sido tu a minha. Com todo o atrevimento que sempre tive, acho que posso dizer que também eu fui a neta que tu nunca tiveste*

4.1.10

Osho times

1. Abundância
2. O Rebelde
3. Inocência
4. Brincadeira
5. Existência

Este ano, andarei entretida com estas palavras dentro de mim.
Vamos ver como me vou sair...