1.8.10

esgotada para férias

Entrei oficialmente de férias há algumas horas atrás, mas a verdade é que ainda não me sinto de férias. Há um especie de "jet leg" que me faz discincronizar o momento da vida do meu momento.
Não sei por que motivo se me dão estas diferenças temporais. Os ciclos, em mim e na minha vida, podem não ter os dias do calendário e isso acontece-me com alguma frequência. Por vezes, isso preocupa-me, porque o mundo não espera por mim. Mas outras vezes, não me incomoda assim tanto andar ao meu ritmo de contra-tempo.
São fases, são manias, é impressão minha, é o meu mau feitio, sou eu que não vejo bem as coisas... chamem-lhe o que quiserem.
Parece que temos sempre tendência para fazer balanços... e chegadas as férias, o balanço parece vir coladinho! Não me apetece fazer balanços, não me apetece medir as coisas, os momentos, pesar as decisões, reflectir sobre esse passado recente e mais distante. Estou cansada. Na verdade, estou mais do que isso, estou esgotada!
Esgotada no sentido de não ter vaga, de estar totalmente ocupada e cheia de tudo o que se passou nestes meses, as coisas boas e as menos boas. Vou precisar de alguns dias para vazar, vagar, esvaziar isto tudo e conseguir arranjar espaço livre para o futuro que aí vem.
E eis que regresso ao tema: férias.
Neste caso, no momento certo em que mais preciso delas*