31.12.10

... Alfa & Ómega...

Há ciclos que se repetem e nós sabemos e contamos com esse consecutivo fim e seguinte recomeço em nossas vidas.
Às vezes, sabemos o que nos espera a seguir, outras vezes terminamos um ciclo e recomeçamos de novo com o coração cheio de esperanças ou rendidos à insatisfação.
Os ciclos, na minha vida, tendem a não respeitar o calendário. Não costumam seguir os dias, nem os meses, sempre certos. Começam e terminam sem que o calendário identifique o momento certo para tal alteração.
Ainda assim, deixo uma nota de fim de ano ou de ano novo... para todos aqueles que, de alguma forma e à semelhança dos "meus" ciclos, se vão juntando a mim, em determinada altura, e que se têm mantido, com maior ou menor grau de proximidade, sem determinar o fim desse ciclo ;)

Coração de Luz

Que cada um de nós mostre o coração transparente e deixe ver uma Luz maior e mais brilhante.
Que o nosso coração se encha de transparência e translucidez e deixe ver para além de nós mesmos.
E que essa luz nos deixe ver os nosso contornos a borbulhar.

Coração que derrete

Se, a dada altura, o nosso coração ficar mais sólido e tivermos dificuldade em derretê-lo. Há que aproximá-lo da àgua.
De sólidos, passaremos a ser líquidos. E, sendo líquidos, poderemos a ser um só, porque as particulas da água têm a facilidade maravilhosa e única de se juntarem sempre que se aproximam. Assim, nunca estaremos sós.

Coração de Pedra

Se alguma vez, como muitas vezes me acontece, o vosso coração ficar mais pesado e mais parecido com uma pedra... Não o deixem ficar longe ou fora do corpo. Com toda a força que tenham no momento, tratem de trazê-lo sempre convosco! Arrastem-no se fôr preciso, mas não o deixem ficar longe.
"Há dias em que sou rocha. Feita de um material do mundo que me escapa ao entendimento. A dureza não me deixa satisfeita, a resistência também não. Mas, são esses sais e esses mineirais que me compõem, que me dão o equilibrio de que preciso para que não se dê o colpaso." (escrito algures aqui no blog)

A Nossa Mão

A energia de que precisamos está mesmo dentro de nós. Há momentos em que somos levados a pensar que não.
Desejo que no novo ano todos saibamos que das nossas mãos podemos criar tudo o que precisamos em cada momento.
Ponham a vossa mão cheia de energia em tudo o que façam. Delas vão sair as cores e as formas que vão dar côr e forma à nossa vida.

Natureza Mãe

Mesmo assim... todos sabemos que, muitas vezes, as coisas não correm como gostaríamos.
É nessas alturas que a Mãe Natureza, com todo o seu Amor Universal e Incondicional, vai ajudar, dar sustento e amparo.
A Terra debaixo dos pés para podermos sempre caminhar com um passo à frente do outro; o Sol a aquecer o coração e a iluminar o nosso caminho; as estações do ano que nos trazem sempre cores novas, novos sabores e novas emoções...


FELIZ 2011 para TODOS*