27.12.11

Escolhi esta para mim…

Música para o Novo Ano 

There’s nothing you can do
That can’t be done,
Nothing you can sing
That cant be sung,
Nothing you can say
But you can learn How to play the game
It's easy...


There’s nothing you can make
That can’t be made,
No one you can save
That cant be saved,
Nothing you can do
But you can learn how to be you in time,
It's easy´...


All you need is LOVE ♥


There’s nothing you can know
That isn’t known,
Nothing you can see
That isn’t shown,
Nowhere you can be
That isn’t where you’re meant to be
It's easy...


All you need is LOVE ♥

26.12.11

Terra

hp1

Fui Terra quando devia ter sido Madeira;

fui Terra quando devia ter sido Fogo, e Metal, e Água.

E, quando devia ter sido Terra, continuei a ser Terra.

Depois, devia ter sido Metal de novo, e fui Água.

Sou Água, agora que devia ser Água.

O meu desequilíbrio natural é um presente do Universo que eu só vou compreender mais tarde.

Trago no bolso estas gotas que já sou.

My Christmas Tree of Life

Imagem retirada da web

 

Na minha árvore de natal deste ano há um ramo livre para cada um de vocês.

Podem escolher qual gostam mais e podem sentar-se a ver o SOL ao fundo da imagem a descer devagarinho.

Os ramos que ela tem são coloridos e são fortes, como aquilo que nos uniu, a certa altura, nas nossas vidas.

Foram crescendo em direcção ao céu e foram ganhando contornos e folhas.

Podem sentar-se mais a cima ou mais abaixo, mais à direita ou mais à esquerda, num ramo colorido, num ramo com folhas, num ramo desfolhado...

Podem saltar de ramo em ramo, voar a pique do ramo mais alto até pousar num ramo mais rasteiro, pendurar as pernas e ver o Sol descer de cabeça para baixo...

E sejam felizes nesse olhar prolongado*

Se quiserem ficar e esperar pela Lua, também podem.

Já sabem que ela virá acompanhada de estrelas... E que as estrelas podem guiar os vossos passos até à concretização dos vossos sonhos... outras vezes, podem apenas iluminar e tornar a noite mágica.

Sejam felizes também na escuridão, porque nela sabemos onde fica a nossa própria Luz*

FELIZ NATAL*

17.10.11

Tenho saudades,
talvez seja esse o sentimento maior,
hoje.

FELIZ ANIVERSÁRIO, PAI*

Hoje não tenho mais palavras para ti.
O meu coração não pára de bater e as palavras não querem chegar.
Quero só sentir. Mais nada*

3.10.11

Dos Corações... De Pedra...

Caminhava pé ante pé. O caminho era rude, mas eu gosto dele assim. Sem querer e sem me aperceber pisei um coração. Primeiro, fiquei aflita. Não me apercebi, antes de o pisar, que era um coração. De pedra, mas um coração. Fiquei triste, porque não queria ter pisado aquela pedra, com aquela forma. Depois, fiquei contente. Veio ao meu pensamento uma boa justificação para ter pisado o coração. Quase instantaneamente ocorreu-me, talvez num jogo da mente que a todo o custo procura justificar as nossas acções (as quais nos arrependemos de ter feito, ainda que inconscientemente...) E lembrei-me... Talvez... eu tenha pisado o coração com o único propósito de apoiar o meu pé, o meu corpo, enquanto caminhava. Talvez o coração esteja ali para apoiar a minha caminhada. Para me sustentar. Para ser apoio e permitir que eu continue a caminhar. Em vez de um buraco para eu cair... ou tropecar...
:)

23.9.11



Porque
ontem
e hoje
ouço o Mar*
que está a quilómetros
como se estivesse aqui
mesmo ao meu lado
a dizer-me um segredo
em voz alta

18.8.11

Hoje, Mar*




quando escrevo mar
o mar todo entra pela janela

Al Berto, [eras novo ainda]






e nunca me disseram o nome daquele oceano

Al Berto, Salsugem - 9





7.8.11

Dos diálogos

- são muitos sentimentos misturados ao mesmo tempo

- embrulham-se todos e nós temos de andar atrás deles, cá dentro do coração, pra escolher aqueles que mais queremos deixar sair... acho que é isso

- eu ainda me sinto dividida entre o medo e a esperança... mas foi assim desde o inicio

- andam de mãos dadas, esses dois*...







*como eu te dou as minhas mãos para serem aquilo que precisares, minha querida amiga

24.7.11

Do Infinito



Porque há infinitos na nossa vida que não podemos ingnorar.
Porque a qualidade de infinito não se pode aplicar a tudo, nem a todos, nem sempre, nem nunca.
Porque há infinitos que nos (a)parecem desenhados no céu escuro da noite, pelas luzes.
E outros, que o dia mostra e nós nem sempre vemos.
Porque o infinito na vida pode ser em cada momento, a cada instante.
Porque cada infinito destes, captados todos num só instante, tem uma correspondência em mim que eu quero guardar para sempre. Assim.

20.7.11

Cada palavra é um pedaço do universo.
Um pedaço que faz falta ao universo.
Todas as palavras juntas formam o Universo.

José de Almada- Negreiros, Valor das Palavras
‎* ♥ *

I can't stop dreaming, I can't stop singing tonight
I can't stop dreaming, I can't stop painting the sky*
You know I, I belog here, I feel good here
I can't stop dreaming of the moon tonight*

* ♥ *

7.7.11

Ao Avô que eu escolhi

O dia nasceu bonito, o céu de um azul maravilhosos e eu amanheci decidida a ir comprar 2 prendas para duas pessoas especiais. Levei a Bolota a passear e toca o telefone. Alguém precisava de ajuda urgente.
Fui ajudar... E tu não me respondeste. Percebi nesse momento que os meus pensamentos da noite anterior sobre a tua partida, tinham deixado de ser apenas pensamentos. Tu tinhas, de facto, partido. Os teus 92 anos e a tua debilidade física estavam aos poucos a dizer-me que estavas perto de partir. Mas eu... tenho este problema com as partidas definitivas. Raramente as aceito de ânimo leve. Eu sei que estás em paz e que o teu corpo descansa agora sem as dores a que foste obrigado a habituar-te. Eu sei que tu esperavas e, quase arrisco a dizer, desejavas que este dia de céu azul chegasse. Chegou. A tua voz rouca e os teus olhos verdes, o teu cabelo, desde sempre, branco e a tua serenidade vão sempre ficar na minha memória. As conversas de fim de tarde ou de meio da manhã, sentados no muro, na beira da estrada, a ver os carros passar ou sentados no banco de madeira à sombra... Outras vezes, eu passava e perguntava, depois dos beijinhos, "como é que isso vai?" e tu respondias invariávelmente: "Mal ou bem, tudo é ir..."
O Amor que sempre recebi, já o disse aqui depois da Pabia ter partido antes de ti, era o Amor de um Avô. E eu sempre me senti vossa neta.
Posso dizer que o afecto era mútuo e que foi sempre o que nos uniu.
Se eu tive um Avô, foste sempre tu*

21.6.11

20.6.11

Hoje recordo 'Saudades'




Se há um coração bordado a fio de prata,
(bordado à mão, com dedos redondos de meias-luas perfeitas)
Podia dizer-se que o fio de prata vinha do Mar* ou do Rio
(do rio que nasce nesses braços/ do Mar* que nasce nesses olhos)





Se há girassóis iluminados, olhando o céu
(Como se fossem estrelas da terra, durante o dia)
Iluminando faces
(sem sobreaquecer)
Com uma luz que vai de face em face
(em cada beijo)

Então,
(se tudo isto foi imaginado em dia de arco-íris de Verão)
Então, Saudades
Eu diria que esta é a minha saudação,
Retribuindo essa lembrança da Sereia*

Hoje recordo 'banhos de cinza'

A imagem,
(seja a que for,)
enquadrada dentro de um rectângulo,
(maior ou mais pequeno,)
de papel mate,
(só porque gosto mais,)
e, enquadrada, não porque está devidamente equacionado o objecto dentro do visor
(proporcional em espaço, profundidade, foco, cor, luz, centratura, verticalidade e horizontalidade…)
mas, apenas porque deve caber nesse rectângulo adiante dos olhos.

A imagem
(como vida,)
O clic,
(como momento-a-momento)
da vida, de cada dia
(e da noite fotografada sem flash).
A fotografia para dizer quem somos,
(o que somos, eventualmente)
para nos dizer a vida
(e nos mostrar de onde vimos e para onde vamos)
e nos mostrar caminhos, passagens, pegadas, marcas
(que deixamos à passagem, ainda que, muitas vezes, sem querer… e)
que outros deixam, na fotografia.

O clic
(como decisão)
como acção levada a cabo por um sujeito
(desconhecido e sem carreira profissional de fotógrafo)
que quer com esse clic guardar essa imagem
(que os olhos vêem, ou que o coração sente)
na alma
(porque vagueia,)
porque passa pelos lugares e vai clicando
(vai sendo, vai andando, vai vivendo)

Às vezes, esquece-se de clicar …
(chega mesmo a esquecer-se de si)
e, nessas noites,
(acende o candeeiro de rosas que dão luz e…)
vai buscar a caixa onde guarda todos os outro cliques
(o tal espelho pendurado na sua frente)

Um abraço*

12.6.11


*PARAMIS:* The Ten Perfections


1. *Dana*: Generosity
May I be generous and helpful

2. *Sila*: Morality
May I be well-disciplined and refined in manners.
May I be pure and clean in all my dealings.
May my thoughts, words and deeds be pure.

3. *Nekkhama*: Renunciation
May I not be selfish and self-possessive, but selfless and disinterested.
May I be able to sacrifice my pleasure for the sake of others.

4. *Panna*: Wisdom
May I be wise and able to see things as they truly are.
May I see the light of truth and lead others from darkness to light.
May I be enlightened and be able to enlighten others.

5. *Viriya*: Energy
May I be energetic, vigorous and persevering.
May I strive diligently until I achieve my goal.
May I be fearless in facing dangers and courageously surmount all obstacles.
May I be able to serve others to the best of my ability.

6. *Khanti*: Patience
May I ever be patient.
May I be able to bear and forbear the wrongs of others.
May I ever be tolerant and see the good and beautiful in all.

7. *Sacca*: Truthfulness
May I ever be truthful and honest.
May I not swerve from the path of truth.

8. *Adhitthana*: Determination
May I be firm and resolute and have an iron will.
May I be soft as a flower and firm as a rock.
May I ever be high-principled.

9. *Metta*: Loving Kindness
May I ever be kind, friendly and compassionate.
May I be able to regard all as my brothers and sisters and be one with all.

10. *Upekkha*: Equanimity
May I ever be calm, serene, unruffled and peaceful.
May I gain a balanced mind.
May I have perfect equanimity.


May I serve to be perfect.
May I be perfect to serve.

5.6.11

Hoje... Fluindo

... "Esse movimento tem algumas coisas belas em si. Uma delas é que a água se desloca sempre em direção à profundeza, sempre procura o terreno mais baixo. A água não tem ambição, nunca briga por ser a primeira: ela quer ser a última. "

..."A água vai para baixo, procura o terreno mais baixo, quer ser uma não-entidade. Não quer proclamar-se especial, excepcional, extraordinária."

E é isto! É isto que sinto, hoje.
Sou Feliz*

10.5.11

Hoje caminhei de novo pelo caminho de todos os dias. E eu sei que a Primavera tráz a esse caminho aquelas flores. Passo todos os dias e, todos os dias, espero vê-las florir. Acompanho o processo todo com o sorriso de quem espera pelo final feliz.
Hoje. Foi Hoje.
Os Corações Brancos estavam espalhados pelo chão. O vento deve ter passado antes de mim. Passei de modo a não pisar nenhum, escolhi dois e juntei-os na palma da minha mão.

Eu já sabia que os corações iam cair, que o vento ia soprar mais do que a brisa e que a chuva de Corações Brancos existe. Eu já lá estive nesse dia, já vivi esse momento, já vi essas pétalas cairem em circulos espirais e deslizarem até ao chão.

Gosto tanto*

3.5.11

Happyness is when...

... What you say, what you think and what you do
are in HARMONY*


(vi isto hoje e... partilho)

2.5.11

Da Minha Mãe

A vida quis que a nossa caminhada fosse feita uma com a outra.
E depois de eu ser a tua filha, já fui a tua mãe muitas vezes. Ser tua Mãe tem a parte boa de ser eu a cuidar de ti e a responsabilidade menos boa que é não ser tão boa Mãe como tu foste.
Sempre sobrevalorizei a tua capacidade se SERES MÃE, sem nunca teres sido filha. Para mim, foste a melhor que eu podia ter tido, sem nunca teres um modelo ou um exemplo para seguires, para te guiares, para te dar uma dica, te ensinar a seres a Mãe que és.
E tu soubeste sempre ser Mãe.
Não vou aqui apontar tudo o que fizeste por mim, tudo o que me ensinaste, nem nenhum momento mais especial.
Sou feliz porque sou tua filha e porque a minha Mãe és TU*

22.4.11

Terra

Quis o Universo que o meu primeiro dia de descanso, em 6 semanas consecutivas, fosse o mesmo em que se comemora o Dia da Terra. Fico feliz com esta coincidência.

21.4.11

... e saber que estar aqui faz parte de mim,
que Ser isto é Ser o que sou e como sou,
que os passos são do tamanho da minha perna,
que os sonhos têm todas as cores do meu cachecol e mais as estrelas,
que os meus braços me prometem o futuro mais risonho,
que o coração bate com Universo.

Chego a este lugar onde me sento
e sinto tudo isto,
depois de duvidar se tudo isto era possível...
:)

10.2.11

... em quarto crescente

porque há dias em que a Lua cresce e eu... acompanho sempre mais o quarto crescente
do que o quarto minguante. não sei o motivo, não percebo porquê. mas, constato.
gosto de ver a LUA crescer*

4.2.11

... com a objectiva da alma em abertura total



Sem focar,
sem querer chegar à nitidez,
sem procurar ser certa ou assertiva




sem contornos definidos à risca,
sem riscos que delimitem principio e fim de cor,
e de objecto,
sem perceber claramente,
sem fazer interpretações




Assim sou,
sem tudo isso,
agora
As cores misturam-se,
difundem-se no espaço que lhes reservo na vida
passam por mim e eu passo por elas,
sem foco automático,
com a objectiva da alma em abertura total

17.1.11

Nessa noite, deixei as rosas acesas.
Para me encontrares,
se procurasses por mim.
E dormi à luz das rosas,
ao mesmo tempo que me despedia de ti*



Para a alma de uma amiga que partiu
e deixou lágrimas de saudade em todos nós*