24.7.11

Do Infinito



Porque há infinitos na nossa vida que não podemos ingnorar.
Porque a qualidade de infinito não se pode aplicar a tudo, nem a todos, nem sempre, nem nunca.
Porque há infinitos que nos (a)parecem desenhados no céu escuro da noite, pelas luzes.
E outros, que o dia mostra e nós nem sempre vemos.
Porque o infinito na vida pode ser em cada momento, a cada instante.
Porque cada infinito destes, captados todos num só instante, tem uma correspondência em mim que eu quero guardar para sempre. Assim.

2 comentários:

mfc disse...

Acho que é uma grandeza e um conceito que não nos cabe a nós... seres finitos!

rmf disse...

o infinito, 'como numa fotografia',
um desenho de movimento.

abraço